05/08/2019 10:30h : Uma brecha entre o passado e o futuro.

ÁTTICO CHASSOT

Súmula:
Para mirar o passado e prognosticar o futuro fui ajudado por dois livros de um mesmo autor: Yuval Noah Harari. Ele nos ensina a olhar passado com seu Sapiens escrito com gosto, clareza, elegância e um olhar clínico para a metáfora. Ele questiona nossas ideias preconcebidas a respeito do universo. Para perscrutar o futuro, no livro Homo Deus, Harari projeta o futuro da humanidade em busca de uma resposta tão difícil quanto essencial: depois de séculos de guerras, fome e pobreza, qual será nosso destino na Terra? Há muitas inovações que a rapidação (= rápida+ação) faz do futuro um tempo quase presente, sem que percebamos se estas novas realidades descrevem um mundo real ou ainda são uma ficção. Vale citar algumas poucas: a Geração 4.0, a Internet das coisas,a gamificação do trabalho, a Indústria da Medicina), os drones, o Uber, o Airbnb, os Professores de aluguel, a dezena da aplicativos e uma nova religião: a religião do dadismo.  

.

Palestrante: ÁTTICO CHASSOT

Apresentador: Prof. Dr. Jorge Cardoso Messeder – IFRJ-Nilópolis / ABQ.

05/08/2019 14:30h : A pesquisa na pós-graduação em ensino de Química.

EDSON LUIZ LINDNER

Súmula: 
Serão apresentados alguns dados da Pós-Graduação no Ensino de Química no Brasil e no RS. A formação continuada do professor de química se faz necessária para acompanhar as novas diretrizes e propostas para o currículo de Química na Educação Básica. O uso das Novas Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação é fator importante para um bom desempenho e atuação do professor de química. A palestra irá abordar algumas dessas questões e apresentará algumas propostas e sugestões para a formação continuada do educador.



.

Palestrante: EDSON LUIZ LINDNER

Apresentador: Profa. Dra. Andréia Modrzejewski Zucolotto - IFRS.

06/08/2019 10:00h : As pesquisas em ensino e aprendizagem na formação do professor.

ANNA MARIA PESSOA DE CARVALHO

Súmula: 
Iniciaremos a palestra mostrando as pesquisas na construção do conhecimento pelo indivíduo e principalmente as relacionadas à construção do conhecimento cientifico que influenciaram o ensino e a aprendizagem na escola fundamental e média e por consequência a formação do professor. A partir dessa nova visão de ensino – aquele que leve o aluno a: pensarem, levando em conta a estrutura do conhecimento; falarem, evidenciando seus argumentos e conhecimento construído; lerem, entendendo criticamente o conteúdo lido; e escreverem, mostrando autoria e clareza nas ideias expostas – vamos apresentar as condições de planejamento e execução desse ensino. Após essa introdução teórica apresentaremos as pesquisas em ensino e aprendizagem e formação de professores desenvolvidas no LAPEF – Laboratório de Pesquisa e Ensino de Física da FEUSP.

 

.

Palestrante: ANNA MARIA PESSOA DE CARVALHO

Apresentador: Prof. Dr. Lúcio Olímpio Carvalho Vieira – IFRS.

07/08/2019 09:00h : Desvendando o etnocentrismo no ensino de química.

NICÉA QUINTINO AMAURO

Súmula: 
A formação de professores e professoras de química no Brasil, ainda privilegia a construção de conhecimentos científico desenvolvido e protagonizado por homens brancos. Realizada via apagamento e silenciamento das contribuições científicas das mulheres e dos povos originários das américas e da África. Segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais, o ensino deve garantir a formação de cidadãos autônomos, participativos, críticos e responsáveis para a vida em sociedade. Sociedade esta composta e influenciada por diversos povos e culturas. Nesse sentido, a escola deve propiciar aos alunos e às alunas o desenvolvimento de capacidades para vivenciar a inserção social, política e cultural, ou seja, a formação integral do educando e da educanda. Que não acontece sem a valoração, a visibilização e a equiparação das diversas contribuições científicas realizada pelas mulheres e pelos povos africanos e indígenas para status da ciência naturais na atualidade, em especial para a Química. Nesta palestra iremos conversar sobre os impactos do etnocentrismo no ensino de Química e na formação de professores e professoras de química. Apontando também algumas pesquisas e estratégias de ensino desenvolvidas para superação do racismo, do sexismo e do colonialismo epistemológico no ensino de química.   

 

.

Palestrante: NICÉA QUINTINO AMAURO

Apresentador: Profa. Dra. Patrícia Teresa Souza da Luz – IFPA / ABQ-PA

07/08/2019 10:00h : Inclusão, passado, presente e futuro.

GERSON DE SOUZA MÓL

Súmula:
A convivência com as pessoas com passou por muitas transformações ao longo da historia da humanidade. Diferentes povos, em diferentes épocas, lidaram com as pessoas com deficiência com atitudes diferenciadas, indo a eliminação e exclusão ate a adoração e respeito. Conhecer um pouco dessa historia nos permite compreender melhor nosso contexto político e social atual no Brasil e no mundo.

.

Palestrante: GERSON DE SOUZA MÓL

Apresentador: Prof. Dr. Lúcio Olímpio Carvalho Vieira – IFRS.